Livro “A Radiografia do Poder – as elites políticas de Maringá (1997/2012)

Em “A Radiografia do Poder - As elites políticas de Maringá (1997/2012)”, busca-se responder a seguinte questão: qual o caminho percorrido para que os vereadores de Maringá, da 11ª a 14ª Legislaturas, façam parte da elite política local? A análise é realizada a partir da relação existente entre a “Teoria das Elites” e o perfil... Continuar Lendo →

Anúncios

Terceira Via: um caminho possível?

Gianoto (1996) e Barros (1988): expressões da terceira via. Falar de eleições em Maringá nesta época de convenções partidárias é chover no molhado (trocadilho infame diante da chuva que assola a cidade nos últimos dias...). Além disso, comentar sobre o atual quadro eleitoral é correr o risco de estar desatualizado em segundos, dado à mudança... Continuar Lendo →

Onde vamos parar?

Poxa, até tento fugir um pouco da manjadíssima pauta de assuntos que envolvem a Câmara Municipal de Maringá. Nesta mesma fuga, mudei o estilão do blog: mais limpo, leve e solto e com textos que expressam o que penso sobre a política e a sociologia como um todo, apelando ora para as teorias - ainda... Continuar Lendo →

Vossa excelência, o vereador

Pesquisei durante dois anos praticamente a Câmara Municipal de Maringá. Contrariando a expectativa dos que viram o trabalho objeto do Mestrado em Ciências Sociais na UEM, não analisei o “mérito” da atividade legislativa, tampouco a relevância dos projetos ou se eles eram de fato “relevantes socialmente”. Não fiz isso dado ao interesse de pesquisa, voltado... Continuar Lendo →

A minoria da maioria

No último texto publicado neste espaço, debati um pouco sobre as questões que envolvem a reforma politica – que entrará na pauta do Senado Federal na próxima semana. Daqueles pontos, creio que um vale um texto especial, pois há muito tempo causa “estragos” nas eleições para vereadores e deputados: a proporcionalidade de legendas via quociente... Continuar Lendo →

Reformar pra que?

“Ressucitada” no início de 2011, os debates referentes à reforma política movimentam o parlamento nacional. Entretanto, toda vez que o assunto é colocado à tona, as mesmas dúvidas renascem: criar ou não o voto distrital? Estabelecer ou não o voto em lista partidária fechada? E o financiamento público de campanhas? E a chamada “lei tiririca”,... Continuar Lendo →

A rapidez do poupatempo

Implantado em 1996 pelo Governo do Estado de São Paulo, o programa Poupatempo surgiu no intuito de agilizar as atividades da máquina pública, prestando serviços inerentes ao dia-a-dia das pessoas, como emissão de documentos, pagamentos de tributos, entre outros. Desde a primeira unidade – inaugurada em 1997, o programa oferece cerca de 400 serviços, dispostos... Continuar Lendo →

O saldo negativo na ALEP

Dos textos que escrevi até aqui comentando o resultado das eleições 2010 este é o que contem maior “pessimismo”. Finalizamos hoje esta série de comentários, a fim de que possamos manifestar nossas expectativas em relação aos próximos mandatários eleitos pelo Paraná. E porque tal clima “pessimista”? Pelo fato de que Maringá “perdeu” duas importantes cadeiras... Continuar Lendo →

Maringá na Câmara dos Deputados

Continuidade – mas sem continuísmo. Esta é a expectativa criada em torno dos dois Deputados Federais eleitos por Maringá em 2010: Cida Borghetti (PP) e Edmar Arruda (PSC). Mantendo há mais de vinte anos pelo menos duas cadeiras no parlamento nacional, os maringaenses podem se orgulhar de tal marca. Todavia, duas “caras novas” substituirão Ricardo... Continuar Lendo →

Dois pesos, uma medida

O que a população paranaense ganhará com os dois “novos” senadores eleitos no último 03 de Outubro? Com dois “pesos políticos” diferentes, Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) se elegeram em segundo e primeiro lugar, respectivamente, confirmando assim a tendência das pesquisas desde o começo da corrida eleitoral. Os dois ocuparão as vagas do... Continuar Lendo →

O balanço das eleições 2010 no Paraná

Quem perdeu e quem ganhou? Qual o impacto do último pleito eleitoral para a política paranaense nos próximos anos? E o governo Beto Richa, como será? Requião e Gleisi: o que representam no Senado? E os Deputados Federais e Estaduais eleitos pela região de Maringá? Procurarei elucidar estas perguntas durante as próximas semanas aqui no... Continuar Lendo →

A “nova” bancada paranaense

Previsões? Futurologia? Achismo? Ou palpites? (quase) todas essas probabilidades são esperadas de um analista político. Na maioria das vezes, as pessoas querem ouvir o que ele acha provável, quais são as tendências eleitorais, enfim, o que esperar para as revelações após a abertura das urnas. Nesta tendência de análise de conjuntura eleitoral, quais são os... Continuar Lendo →

Definição indefinida

Nas eleições deste ano, o eleitor tem a possibilidade de votar em duas cadeiras para o Senado Federal. Composto por 81 senadores distribuídos de modo igualitário entre as unidades federativas – isto é, três por Estado, o Senado é renovado alternadamente em dois terços e um terço a cada 8 anos. No Paraná, 4 candidaturas... Continuar Lendo →

Estude enquanto é tempo

Sob o intuito de reformular a estrutura do passe do estudante em Maringá, a Secretaria de Transportes (SETRAN) prevê a restrição do benefício, em um trabalho de reestruturação que não acontece desde 1988, quando da criação do sistema de transporte interligado. Tal medida visa conceder o passe a quem realmente necessita, como por exemplo os... Continuar Lendo →

Pablo, qual é a música?

Quem nunca ouviu essa frase pronunciada pelo apresentador de TV Silvio Santos? Qual é a Música? era um programa que foi ao ar na década de 1970 e exibido no SBT, no qual artistas tentavam acertar qual era a música tocada pela banda do programa. Após acertar ou errar a canção, Silvio Santos perguntava ao famoso... Continuar Lendo →

Debates: para que servem, o que querem?

Os debates entre candidatos já se tornaram tradição na política brasileira. Oriundos das eleições estadunidenses (quanto à modalidade televisiva), o formato dos mesmos se alterou nos últimos anos: sai a bancada com o mediador e os candidatos; entra os auditórios e flexibilidade dos políticos. Anos atrás, havia uma crendice na população que os debates serviam... Continuar Lendo →

A maldição da Câmara de Vereadores

Quem deseja ingressar numa carreira política normalmente conhece uma afirmação frequente nos bastidores. Tal afirmação consiste basicamente em começar “de baixo”, isto é, por aquele cargo que exige condições mínimas para seu exercício e que está em contato direto com a população: o vereador. Mais de uma centena de candidatos tem-se aventurado nas últimas campanhas... Continuar Lendo →

O legado de Obama

Eleições 2008. A última “festa da democracia” que ocorreu no Brasil. No pleito, milhões de brasileiros escolheram novos prefeitos e vereadores para um mandato de quatro anos. Em comum, ocorreram as eleições presidenciais nos Estados Unidos, a maior potência econômica e política mundial. Tinha tudo para ser mais uma eleição comum, com debates de alto... Continuar Lendo →

As cabeças de Jabulani

“Cabeça de Jabulani tem ar ao invés de cérebro.” Estas palavras foram escritas pelo ex-governador Roberto Requião (PMDB) cinco dias atrás via twitter. O termo é fácil de explicar: leve e sem costuras – portanto com trajetória variável – Jabulani é o nome da bola oficial utilizada na Copa do Mundo deste ano, da África... Continuar Lendo →

As urnas punem

Muricy Ramalho é um daqueles treinadores exigentes no futebol. Muitas vezes mal humorado, não dá trégua para imprensa ao ser entrevistado, esculachando com os jornalistas. Pagou alto preço em sua passagem pelo São Paulo, sendo tri-campeão brasileiro e...quatro vezes eliminado da taça libertadores. Apesar deste perfil conturbado, Muricy foi sábio ao dizer que “a bola... Continuar Lendo →

Nos tempos das receitas de bolo

Após a promulgação do Ato Institucional número cinco (o AI-5), em 1968, os poderes instaurados pelo golpe militar quatro anos antes estavam ampliados. Condicionando ao Presidente a possibilidade de comandar o legislativo e o judiciário, o ato trouxe também uma ferrenha censura aos meios de comunicação. Se um jornal, por exemplo, noticiasse algo que não... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑